"O golpe contra a Dilma foi para barrar os avanços dos mais pobres"

Ex-presidente participou na quinta (31/8) de um ato em Ouricuri, no sertão pernambucano.

Escrito por: Instituto Lula • Publicado em: 01/09/2017 - 14:01 Escrito por: Instituto Lula Publicado em: 01/09/2017 - 14:01

Ricardo Stuckert / Instituto Lula

Uma multidão recebeu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na cidade de Ouricuri, no sertão de Pernambuco, nesta quinta-feira (31), durante um ato de boas vindas à caravana Lula pelo Brasil. No dia em que o golpe contra a presidenta eleita Dilma Rousseff completa um ano, Lula criticou os que apoiaram o impeachment e reforçou que os pobres foram os mais prejudicados pelo golpe contra a democracia no Brasil.

"A única razão que eu encontro para terem tirado a Dilma foi para barrar os avanços dos mais pobres. Foi por isso que eles deram o golpe na Dilma, porque os pobres queriam ser respeitados, comer bem e viajar de avião", declarou o ex-presidente.  

Ao lado de representantes de movimentos sociais pernambucanos, além de prefeitos da região, como João Bosco Lacerda (PT-PE), da cidade de Granito, e do prefeito de Ouricuri, Ricardo Ramos (PSDB), e parlamentares como o senador Humberto Costa (PT-PE) e o deputado federal Silvio Costa (PT do B-PE), Lula recebeu homenagens e lembrou dos avanços sociais dos últimos 13 anos que mudaram a vida de milhões de nordestinos, como a contrução das cisternas na região. "Quem mora na Avenida Paulista, em Copacabana ou em Boa Viagem não sabe a importância que tem uma cisterna na vida do sertanejo", disse. E foi justamente com uma grande faixa sobre as cisternas que o povo recebeu o ex-presidente na cidade: "As cisternas é que fazem o Sertão virar mar. É água pra beber e plantar", dizia a faixa, assinada pelos Povos do Semiárido. 

Para ver as fotos do evento em alta resolução, acesse o Flickr do Instituto Lula

Durante o ato, Lula relembrou orgulhoso sobre seu sonho de mudar a região Nordeste para melhor. "Eu comecei a pensar: será que o Nordeste nasceu para ser pobre? Nos jornais em São Paulo só se falava sobre analfabetismo, fome, seca. Foi então que resolvi dar ao Nordeste as mesmas oportunidades que o resto do país tinha", afirmou o ex-presidente. Durante os governos do PT, afirmou Lula, foi possível provar que as pessoas pobres são tão inteligentes quanto as ricas se estiverem de barriga cheia. "Pela primeira vez, nós conseguimos colocar no banco da faculdade filho de trabalhador rural, filho de pedreiro, filho de doméstica. Eu provei que era possível cuidar desse país, que era possível as crianças viverem com mais saúde".  

A caravana Lula pelo Brasil deixou a cidade de Ouricuri e, no caminho, fez mais uma parada não programada, dessa vez no município de Arapirina (PE). Lá, o ex-presidente foi recebido calorosamente pela população e falou que para lidar com a seca é preciso comprometimento dos governantes.  "A seca é um fenômeno natural da região. A fome e a sede são resultado da irresponsabilidade dos políticos", finalizou. 

Museu Gonzagão 

Antes de chegar na cidade de Ouricuri e após prestar homenagens ao mito religioso Padre Cícero, em Juazeiro do Norte (CE), o ex-presidente Lula pegou a estrada para homenagear outro grande mito nordestino: Luiz Gonzaga. No museu Gonzagão, localizado na cidade de Exu, em Pernambuco, o ex-presidente visitou todas as depedências da antiga casa onde viveu o rei do baião e ouviu as histórias e curiosidades sobre a vida e carreira de Luiz Gonzaga. 

Lula durante a visita ao museu Gonzagão, em Exu (PE). Foto: Ricardo Stuckert 

Nesta sexta-feira (01), Lula volta à estrada e chega no Piauí, o oitavo estado da caravana Lula Pelo Brasil. 

Veja como foi o ato em Ouricuri:

 

 

 

Título: "O golpe contra a Dilma foi para barrar os avanços dos mais pobres", Conteúdo: Uma multidão recebeu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na cidade de Ouricuri, no sertão de Pernambuco, nesta quinta-feira (31), durante um ato de boas vindas à caravana Lula pelo Brasil. No dia em que o golpe contra a presidenta eleita Dilma Rousseff completa um ano, Lula criticou os que apoiaram o impeachment e reforçou que os pobres foram os mais prejudicados pelo golpe contra a democracia no Brasil. A única razão que eu encontro para terem tirado a Dilma foi para barrar os avanços dos mais pobres. Foi por isso que eles deram o golpe na Dilma, porque os pobres queriam ser respeitados, comer bem e viajar de avião, declarou o ex-presidente.   Ao lado de representantes de movimentos sociais pernambucanos, além de prefeitos da região, como João Bosco Lacerda (PT-PE), da cidade de Granito, e do prefeito de Ouricuri, Ricardo Ramos (PSDB), e parlamentares como o senador Humberto Costa (PT-PE) e o deputado federal Silvio Costa (PT do B-PE), Lula recebeu homenagens e lembrou dos avanços sociais dos últimos 13 anos que mudaram a vida de milhões de nordestinos, como a contrução das cisternas na região. Quem mora na Avenida Paulista, em Copacabana ou em Boa Viagem não sabe a importância que tem uma cisterna na vida do sertanejo, disse. E foi justamente com uma grande faixa sobre as cisternas que o povo recebeu o ex-presidente na cidade: As cisternas é que fazem o Sertão virar mar. É água pra beber e plantar, dizia a faixa, assinada pelos Povos do Semiárido.  Para ver as fotos do evento em alta resolução, acesse o Flickr do Instituto Lula.  Durante o ato, Lula relembrou orgulhoso sobre seu sonho de mudar a região Nordeste para melhor. Eu comecei a pensar: será que o Nordeste nasceu para ser pobre? Nos jornais em São Paulo só se falava sobre analfabetismo, fome, seca. Foi então que resolvi dar ao Nordeste as mesmas oportunidades que o resto do país tinha, afirmou o ex-presidente. Durante os governos do PT, afirmou Lula, foi possível provar que as pessoas pobres são tão inteligentes quanto as ricas se estiverem de barriga cheia. Pela primeira vez, nós conseguimos colocar no banco da faculdade filho de trabalhador rural, filho de pedreiro, filho de doméstica. Eu provei que era possível cuidar desse país, que era possível as crianças viverem com mais saúde.   A caravana Lula pelo Brasil deixou a cidade de Ouricuri e, no caminho, fez mais uma parada não programada, dessa vez no município de Arapirina (PE). Lá, o ex-presidente foi recebido calorosamente pela população e falou que para lidar com a seca é preciso comprometimento dos governantes.  A seca é um fenômeno natural da região. A fome e a sede são resultado da irresponsabilidade dos políticos, finalizou.  Museu Gonzagão  Antes de chegar na cidade de Ouricuri e após prestar homenagens ao mito religioso Padre Cícero, em Juazeiro do Norte (CE), o ex-presidente Lula pegou a estrada para homenagear outro grande mito nordestino: Luiz Gonzaga. No museu Gonzagão, localizado na cidade de Exu, em Pernambuco, o ex-presidente visitou todas as depedências da antiga casa onde viveu o rei do baião e ouviu as histórias e curiosidades sobre a vida e carreira de Luiz Gonzaga.  Lula durante a visita ao museu Gonzagão, em Exu (PE). Foto: Ricardo Stuckert  Nesta sexta-feira (01), Lula volta à estrada e chega no Piauí, o oitavo estado da caravana Lula Pelo Brasil.  Veja como foi o ato em Ouricuri:      



Informativo CUT PB

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.