Mulheres das Centrais se reúnem para definir ações para o próximo período

Secretárias das cinco centrais discutiram o calendário de lutas

Escrito por: CUT • Publicado em: 08/08/2017 - 14:30 Escrito por: CUT Publicado em: 08/08/2017 - 14:30

CUT

Foto: CUT

Com a participação das Secretárias Nacionais de Mulheres da CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT aconteceu nesta segunda-feira (7), na sede da Força Sindical, reunião do Fórum Nacional de Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais (FNMT)

No debate do primeiro ponto de pauta, a escolha do nome do Fórum para representar as mulheres das Centrais na Secretaria de Mulheres da Confederação Sindical dos Países de Língua Portuguesa, houve consenso em torno do nome de Cássia Bufelli, da UGT.

O debate sobre conjuntura, abordou vários aspectos relacionados as perdas de direitos que tivemos após o golpe e também apontou-se a necessidade de considerar que essa é uma crise internacional.

As dirigentes presentes reforçaram a importância de ter mulheres nas reuniões gerais das centrais sindicais, que tem se caracterizado pela ausência de mulheres, negros e negras e jovens.

As participantes foram unanimes em assinalar a importância de encontrar maneiras de chegar até os trabalhadores, e em particular as trabalhadoras com uma abordagem que elas compreendam que parta do seu cotidiano, que tenha uma linguagem de fácil compreensão.

Também houve acordo que hoje deve ser prioridade as ações de formação e comunicação nesse sentido, foram propostas várias iniciativas de divulgação, propaganda e mobilização que deverão começar desde antes da aprovação da reforma da previdência e seguir até as eleições de 2018.

Título: Mulheres das Centrais se reúnem para definir ações para o próximo período, Conteúdo: Foto: CUT Com a participação das Secretárias Nacionais de Mulheres da CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT aconteceu nesta segunda-feira (7), na sede da Força Sindical, reunião do Fórum Nacional de Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais (FNMT) No debate do primeiro ponto de pauta, a escolha do nome do Fórum para representar as mulheres das Centrais na Secretaria de Mulheres da Confederação Sindical dos Países de Língua Portuguesa, houve consenso em torno do nome de Cássia Bufelli, da UGT. O debate sobre conjuntura, abordou vários aspectos relacionados as perdas de direitos que tivemos após o golpe e também apontou-se a necessidade de considerar que essa é uma crise internacional. As dirigentes presentes reforçaram a importância de ter mulheres nas reuniões gerais das centrais sindicais, que tem se caracterizado pela ausência de mulheres, negros e negras e jovens. As participantes foram unanimes em assinalar a importância de encontrar maneiras de chegar até os trabalhadores, e em particular as trabalhadoras com uma abordagem que elas compreendam que parta do seu cotidiano, que tenha uma linguagem de fácil compreensão. Também houve acordo que hoje deve ser prioridade as ações de formação e comunicação nesse sentido, foram propostas várias iniciativas de divulgação, propaganda e mobilização que deverão começar desde antes da aprovação da reforma da previdência e seguir até as eleições de 2018.



Informativo CUT PB

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.