Datafolha: Lula amplia liderança e venceria em 2018

Nova pesquisa aponta que Bolsonaro se mantém em segundo, mas com metade das intenções

Escrito por: Redação RBA  com Carta Capital, Fórum e Portal Vermelho • Publicado em: 04/12/2017 - 18:48 • Última modificação: 04/12/2017 - 19:17 Escrito por: Redação RBA  com Carta Capital, Fórum e Portal Vermelho Publicado em: 04/12/2017 - 18:48 Última modificação: 04/12/2017 - 19:17

Arquivo

Pesquisa Datafolha divulgada na tarde deste sábado (2) mostra que o ex-presidente Lula mantém a liderança da disputa presidencial para 2018 com o dobro de indicações do segundo colocado Jair Bolsonaro. A depender da relação dos concorrentes exibida aos entrevistados, Lula varia de 34% a 37% das citações e venceria todos os adversários no segundo turno. Bolsonaro obtém de 17% a 18% das intenções de voto. Mesmo em simulações sem Lula, os nomes testados do PSDB continuam sem mostrar consistência. Nestas simulações, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, aparece em terceiro (varia de 9% a 12%). O prefeito paulistano João Doria, chega a 6%.

Em um eventual segundo turno, o ex-presidente venceria Marina Silva, da Rede, por 48% a 35%, Bolsonaro por 51% a 33% e Alckmin, nome mais cotado no momento para representar os tucanos nas eleições, por 52% a 30%.

Um dos nomes citados para substituir Lula, num eventual impedimento de sua candidatura, o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad ficaria com 3%, empatado tecnicamente com Manuela D´Ávila (PCdoB, 2%). Nas simulações sem Lula, o voto em branco ou nulo sobe bastante, de 12% a 14% para de 25% a 30%.

Em termos de perfil do eleitor, não há mudanças significativas em relação ao que já foi apurado até aqui. Lula tem a preferência entre mais pobres e moradores da região Nordeste. Bolsonaro faz especial sucesso entre homens, jovens e com renda maior. 

O ministro Henrique Meirelles (Fazenda) deseja ser candidato, mas tem desempenho baixo hoje. Oscila entre 1% e 2% de intenções, mesmo nível de Paulo Rabello de Castro (PSC), João Amoêdo (Novo) e Guilherme Boulos (cortejado pelo PSOL). Rabello de Castro é o atual presidente do BNDES e apareceu no programa partidário na TV, há duas semanas, como pré-candidato.

O Datafolha ouviu 2.765 eleitores em 192 cidades entre 29 e 30 de novembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Confirmação

Pesquisa recente CUT/Vox Populi havia captado tendência parecida: a liderança folgada de Lula e a consolidação de Bolsonaro em segundo lugar. No levantamento realizado entre 27 e 30 de outubro, o ex-presidente somava 42% das intenções de votos e Bolsonaro chegava a 16%. Os demais presidenciáveis oscilavam em percentuais bem decepcionantes. Igualmente o petista venceria todos os adversários no segundo turno.

A enquete do Vox Populi incluiu o apresentador de tevê Luciano Huck, que ainda não havia anunciado a sua recusa em concorrer à presidência da República. Huck foi citado por 2% dos entrevistados.

 

 

 

 

Título: Datafolha: Lula amplia liderança e venceria em 2018, Conteúdo: Pesquisa Datafolha divulgada na tarde deste sábado (2) mostra que o ex-presidente Lula mantém a liderança da disputa presidencial para 2018 com o dobro de indicações do segundo colocado Jair Bolsonaro. A depender da relação dos concorrentes exibida aos entrevistados, Lula varia de 34% a 37% das citações e venceria todos os adversários no segundo turno. Bolsonaro obtém de 17% a 18% das intenções de voto. Mesmo em simulações sem Lula, os nomes testados do PSDB continuam sem mostrar consistência. Nestas simulações, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, aparece em terceiro (varia de 9% a 12%). O prefeito paulistano João Doria, chega a 6%. Em um eventual segundo turno, o ex-presidente venceria Marina Silva, da Rede, por 48% a 35%, Bolsonaro por 51% a 33% e Alckmin, nome mais cotado no momento para representar os tucanos nas eleições, por 52% a 30%. Um dos nomes citados para substituir Lula, num eventual impedimento de sua candidatura, o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad ficaria com 3%, empatado tecnicamente com Manuela D´Ávila (PCdoB, 2%). Nas simulações sem Lula, o voto em branco ou nulo sobe bastante, de 12% a 14% para de 25% a 30%. Em termos de perfil do eleitor, não há mudanças significativas em relação ao que já foi apurado até aqui. Lula tem a preferência entre mais pobres e moradores da região Nordeste. Bolsonaro faz especial sucesso entre homens, jovens e com renda maior.  O ministro Henrique Meirelles (Fazenda) deseja ser candidato, mas tem desempenho baixo hoje. Oscila entre 1% e 2% de intenções, mesmo nível de Paulo Rabello de Castro (PSC), João Amoêdo (Novo) e Guilherme Boulos (cortejado pelo PSOL). Rabello de Castro é o atual presidente do BNDES e apareceu no programa partidário na TV, há duas semanas, como pré-candidato. O Datafolha ouviu 2.765 eleitores em 192 cidades entre 29 e 30 de novembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Confirmação Pesquisa recente CUT/Vox Populi havia captado tendência parecida: a liderança folgada de Lula e a consolidação de Bolsonaro em segundo lugar. No levantamento realizado entre 27 e 30 de outubro, o ex-presidente somava 42% das intenções de votos e Bolsonaro chegava a 16%. Os demais presidenciáveis oscilavam em percentuais bem decepcionantes. Igualmente o petista venceria todos os adversários no segundo turno. A enquete do Vox Populi incluiu o apresentador de tevê Luciano Huck, que ainda não havia anunciado a sua recusa em concorrer à presidência da República. Huck foi citado por 2% dos entrevistados.        



Informativo CUT PB

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.