CUT terá participação crítica em Conferência da Saúde da Mulher

Manifestação contra o governo golpista de Michel Temer precederá o evento

Escrito por: Igor Carvalho • Publicado em: 17/08/2017 - 09:34 • Última modificação: 17/08/2017 - 09:45 Escrito por: Igor Carvalho Publicado em: 17/08/2017 - 09:34 Última modificação: 17/08/2017 - 09:45

Imagem: Divulgação

Começa, na próxima quinta-feira (17), a 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres (2ª CNSMu). O encontro será em Brasília e terá como foco principal definir as diretrizes para a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres. A CUT participará do encontro com uma posição crítica e antagônica, como definiu sua secretária da Mulher Trabalhadora da Central, Junéia Batista.

“A orientação da CUT para suas delegadas é que teremos uma postura crítica, começando já amanhã, quando faremos um ato antes da Conferência para marcar posição contra esse governo golpista, que não deveria nem mesmo chamar esse encontro”, afirma Juneia.

O ato “Pela saúde e pela vida das mulheres” sairá da frente do Museu da República às 16h e seguirá até o Centro de Convenções Ulysses Guimarães, onde ocorrerá a abertura da Conferência, às 18h.

"Essa conferência foi chamada ainda no governo da presidenta Dilma Rousseff e é um espaço importante a ser ocupado e utilizado para fazer a denúncia do golpe e do desmonte do SUS", explica a Madalena Margarida, secretária da Saúde do Trabalhador.

A 2º Conferência Nacional de Saúde das Mulheres terá o tema  “Saúde das Mulheres: desafios para a integralidade com equidade” e ocorre 31 anos após a primeira edição. Durante o evento, que acaba no próximo domingo (20), serão discutidas as propostas elaboradas nas conferências municipais, estaduais e livres.

Programação

17 de agosto

16h – Ato /Caminhada “Pela Saúde e Pela Vida das Mulheres”
18h – Abertura / Mesa de Autoridades e Convidadas
20h – Jantar Confraternização

18 de agosto

8h30 às 12h (mesas concomitantes)

Eixo I – O papel do Estado no desenvolvimento socioeconômico e ambiental e seus reflexos na vida e na saúde das mulheres
• Celia Regina Nunes das Neves – Comissão Nacional de Fortalecimento das Reservas Extrativistas Marinhas do Brasil (COFREM)
• Ela Wiecko Volkmer de Castilho – Subprocuradora Geral da República
• Ministério da Saúde (aguardando confirmação)
Coordenação: Francisca Valda da Silva e Jupiara Gonçalves de Castro

Eixo II – O mundo do trabalho e suas consequências na vida e na saúde das mulheres
• Ivete Santos Barreto – Conselho Regional de Enfermagem (COREN)
• Maria Conceição Silva – União de Negros pela Igualdade (UNEGRO) e Conselheira do CNS
• Elionice Conceição Sacramento – Movimento Nacional de Pescadoras e Marisqueiras e Conselheira do CNS
Coordenação: Madalena Margarida da Silva e Maria Soraya Amorim

14h às 17h30 (mesas concomitantes)

Eixo III – Vulnerabilidades e equidade na vida e na saúde das mulheres
• Carmen Simone Grilo Diniz – Faculdade de Saúde Pública (USP) e GT de Gênero e Saúde (ABRASCO)
• Margareth Arilha – Núcleo de Estudos de População “Elza Berquó” (NEPO/UNICAMP)
• Maria Luiza Costa Câmera – Associação Bahiana de Deficientes Físicos (ABADEF)
• Keila Simpson – Presidenta da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA)
Coordenação: Heliana Hemetério dos Santos e Cleoneide Paulo Oliveira

Eixo IV – Políticas públicas para as mulheres e a participação social
• Ana Maria Costa – Centro Brasileiro de Estudos de Saude (CEBES)
• Maria de Lourdes Araújo Barreto – Rede Brasileira de Prostitutas e Grupo de Mulheres Prostitutas do Estado do Pará (GEMPAC)
• Alessandra Lunas – Coordenação Nacional da V Marcha das Margaridas
• Ângela Martins – Marcha das Mulheres Negras
Coordenação: Francisca Rego Araújo e Maria Esther de Albuquerque Vilela

19 de agosto

8h30 às 17h30 – 16 Grupos de Trabalho

Eixo I – O papel do Estado no desenvolvimento socioeconômico e ambiental e seus reflexos na vida e na saúde das mulheres (4 Grupos de Trabalho)
Eixo II – O mundo do trabalho e suas consequências na vida e na saúde das mulheres (4 Grupos de Trabalho)
Eixo III – Vulnerabilidades e equidade na vida e na saúde das mulheres (4 Grupos de Trabalho)
Eixo IV – Políticas públicas para as mulheres e a participação social (4 Grupos de Trabalho)

20 de agosto

8h30 às 9h30

Premiação dos Projetos “Laboratório de Inovação de Participação Social e Saude Integral da Mulher” – OPAS/CNS:
• Projeto “Passo a Pássaro” (PI)
• Projeto “TransformaDor: parir com amor, sem violência” (PA)
• Projeto “Barriguda” (RN)
• Projeto “Práticas de cuidado em saúde com trabalhadoras do sexo: extensão universitária desenvolvida pelo NUCED/UFC” (CE)
• Projeto “Mulheres da AP2.2: grupos de convivência, educação em saúde e geração de renda nas Unidades da ESF” (RJ)
• Projeto “Ambulatório Trans de Sergipe: Portas Abertas – Saúde Integral das pessoas trans: cuidar e acolher” (SE)

9h30 às 18h – Plenária Final

18h – Encerramento

Título: CUT terá participação crítica em Conferência da Saúde da Mulher, Conteúdo: Começa, na próxima quinta-feira (17), a 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres (2ª CNSMu). O encontro será em Brasília e terá como foco principal definir as diretrizes para a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres. A CUT participará do encontro com uma posição crítica e antagônica, como definiu sua secretária da Mulher Trabalhadora da Central, Junéia Batista. “A orientação da CUT para suas delegadas é que teremos uma postura crítica, começando já amanhã, quando faremos um ato antes da Conferência para marcar posição contra esse governo golpista, que não deveria nem mesmo chamar esse encontro”, afirma Juneia. O ato “Pela saúde e pela vida das mulheres” sairá da frente do Museu da República às 16h e seguirá até o Centro de Convenções Ulysses Guimarães, onde ocorrerá a abertura da Conferência, às 18h. Essa conferência foi chamada ainda no governo da presidenta Dilma Rousseff e é um espaço importante a ser ocupado e utilizado para fazer a denúncia do golpe e do desmonte do SUS, explica a Madalena Margarida, secretária da Saúde do Trabalhador. A 2º Conferência Nacional de Saúde das Mulheres terá o tema  “Saúde das Mulheres: desafios para a integralidade com equidade” e ocorre 31 anos após a primeira edição. Durante o evento, que acaba no próximo domingo (20), serão discutidas as propostas elaboradas nas conferências municipais, estaduais e livres. Programação 17 de agosto 16h – Ato /Caminhada “Pela Saúde e Pela Vida das Mulheres” 18h – Abertura / Mesa de Autoridades e Convidadas 20h – Jantar Confraternização 18 de agosto 8h30 às 12h (mesas concomitantes) Eixo I – O papel do Estado no desenvolvimento socioeconômico e ambiental e seus reflexos na vida e na saúde das mulheres • Celia Regina Nunes das Neves – Comissão Nacional de Fortalecimento das Reservas Extrativistas Marinhas do Brasil (COFREM) • Ela Wiecko Volkmer de Castilho – Subprocuradora Geral da República • Ministério da Saúde (aguardando confirmação) Coordenação: Francisca Valda da Silva e Jupiara Gonçalves de Castro Eixo II – O mundo do trabalho e suas consequências na vida e na saúde das mulheres • Ivete Santos Barreto – Conselho Regional de Enfermagem (COREN) • Maria Conceição Silva – União de Negros pela Igualdade (UNEGRO) e Conselheira do CNS • Elionice Conceição Sacramento – Movimento Nacional de Pescadoras e Marisqueiras e Conselheira do CNS Coordenação: Madalena Margarida da Silva e Maria Soraya Amorim 14h às 17h30 (mesas concomitantes) Eixo III – Vulnerabilidades e equidade na vida e na saúde das mulheres • Carmen Simone Grilo Diniz – Faculdade de Saúde Pública (USP) e GT de Gênero e Saúde (ABRASCO) • Margareth Arilha – Núcleo de Estudos de População “Elza Berquó” (NEPO/UNICAMP) • Maria Luiza Costa Câmera – Associação Bahiana de Deficientes Físicos (ABADEF) • Keila Simpson – Presidenta da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA) Coordenação: Heliana Hemetério dos Santos e Cleoneide Paulo Oliveira Eixo IV – Políticas públicas para as mulheres e a participação social • Ana Maria Costa – Centro Brasileiro de Estudos de Saude (CEBES) • Maria de Lourdes Araújo Barreto – Rede Brasileira de Prostitutas e Grupo de Mulheres Prostitutas do Estado do Pará (GEMPAC) • Alessandra Lunas – Coordenação Nacional da V Marcha das Margaridas • Ângela Martins – Marcha das Mulheres Negras Coordenação: Francisca Rego Araújo e Maria Esther de Albuquerque Vilela 19 de agosto 8h30 às 17h30 – 16 Grupos de Trabalho Eixo I – O papel do Estado no desenvolvimento socioeconômico e ambiental e seus reflexos na vida e na saúde das mulheres (4 Grupos de Trabalho) Eixo II – O mundo do trabalho e suas consequências na vida e na saúde das mulheres (4 Grupos de Trabalho) Eixo III – Vulnerabilidades e equidade na vida e na saúde das mulheres (4 Grupos de Trabalho) Eixo IV – Políticas públicas para as mulheres e a participação social (4 Grupos de Trabalho) 20 de agosto 8h30 às 9h30 Premiação dos Projetos “Laboratório de Inovação de Participação Social e Saude Integral da Mulher” – OPAS/CNS: • Projeto “Passo a Pássaro” (PI) • Projeto “TransformaDor: parir com amor, sem violência” (PA) • Projeto “Barriguda” (RN) • Projeto “Práticas de cuidado em saúde com trabalhadoras do sexo: extensão universitária desenvolvida pelo NUCED/UFC” (CE) • Projeto “Mulheres da AP2.2: grupos de convivência, educação em saúde e geração de renda nas Unidades da ESF” (RJ) • Projeto “Ambulatório Trans de Sergipe: Portas Abertas – Saúde Integral das pessoas trans: cuidar e acolher” (SE) 9h30 às 18h – Plenária Final 18h – Encerramento



Informativo CUT PB

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.